Sexta, 21 de Junho de 2024
24°

Tempo nublado

Itaituba, PA

Saúde Saúde

Especialistas do HRBA alertam sobre a gravidade da pneumonia em crianças

Em maio, a UTI pediátrica registrou a ocupação de 48% dos leitos com pacientes de casos graves de pneumonia

07/06/2023 às 11h41
Por: Da redação Fonte: Portal RB1, com informações da Agência Pará
Compartilhe:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A pequena Amanda Mota, de três anos, precisou se internar no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), no oeste paraense, para tratar de um quadro de pneumonia. Ela chegou em estado grave e passou por uma cirurgia torácica. 

A internação na UTI durou três dias e, ontem, dia 05 de junho, a menina recebeu alta para dar continuidade ao tratamento na clínica pediátrica. A mãe, Regina Mota, expressou gratidão à equipe médica e aos enfermeiros do Hospital Regional. Ela chegou a pensar que a filha não sobreviveria. 

"Agradeço primeiro a Deus e depois à equipe de médicos e enfermeiros do Hospital Regional. O médico José Pinhata trouxe minha filha de volta. Desde que chegamos aqui, todos os profissionais nos trataram com dignidade e minha filha está se recuperando", agradece Regina.

Alta Demanda

O Regional do Baixo Amazonas tem recebido várias solicitações de transferência para realizar tratamentos referentes à pneumonia em crianças. Os casos estão em alta na região. 

Em maio deste ano, por exemplo, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) acolheu cinco crianças diagnosticadas com a doença, ocupando quase metade dos leitos disponíveis. Devido à alta demanda, especialistas estão chamando a atenção da população para medidas preventivas.

A pneumonia, em sua forma grave, pode resultar em complicações como derrame pleural, pulmão necrosado ou fístula pulmonar, especialmente, em crianças. De acordo com um levantamento realizado pelo HRBA, no período de janeiro a abril de 2023, a UTI pediátrica atendeu um total de 47 pacientes, sendo que 22% deles apresentavam transtornos pulmonares e pneumonia. 

Para dar o suporte necessário, o hospital conta com uma equipe completa de especialistas, incluindo pediatras, cirurgiões torácicos e pneumologistas. Os fisioterapeutas também desempenham um papel fundamental no processo de recuperação de crianças com pneumonia aguda.

Daniel Calçado, pediatra e médico intensivista do HRBA, explica que existem diversos vírus que podem causar inflamação pulmonar, incluindo covid-19, influenza A e/ou B, além da forma bacteriana.

"A pneumonia pode se desenvolver como uma complicação de infecções virais ou a criança pode apresentar pneumonia aguda bacteriana. Nos últimos meses, temos recebido muitos pacientes com menos de seis anos vindos de outros hospitais, com indicação de cirurgia. Isso ocorre devido à necrose pulmonar, que pode evoluir para uma fístula, em alguns casos, resultando em uma série de problemas difíceis de tratar", complementa Daniel.

Ainda conforme o médico, é essencial que os pais estejam atentos aos sinais de dor abdominal, que é um sintoma importante da pneumonia. Febre, tosse persistente e dificuldade respiratória também são sintomas comuns.

O especialista aproveita para o perigo da automedicação. "Neste mês, tivemos um grande número de pacientes, o que tem causado um sofrimento significativo para as crianças, já que muitas vezes elas ficam internadas por 15 ou 30 dias sem apresentar melhora. Portanto, é extremamente importante que os pais estejam atentos e não administrem antibióticos ou anti-inflamatórios sem prescrição médica. Esses medicamentos podem mascarar os sintomas da pneumonia, fazendo com que o paciente pareça estável, enquanto a infecção pode estar se agravando", alerta o médico.

A pneumonia é uma infecção nos pulmões, órgãos responsáveis pelas trocas gasosas no organismo. O pneumologista Odilton Amaral, do HRBA, destaca que, "as crianças são um grupo de risco para a doença por terem baixa imunidade, característica da faixa etária, e também por terem um menor tempo de exposição aos microrganismos, pois, diferentemente de um adulto, que já teve contato com vários vírus ao longo de sua vida, uma criança tem um contato limitado e, consequentemente, o sistema imunológico não conhece todos os vírus e bactérias existentes", salienta o pneumologista do HRBA.

Dados globais

De acordo com a ONU, cerca de 6,3 milhões de crianças com menos de 5 anos correm o risco de falecer devido à pneumonia entre 2020 e 2030, considerando as tendências atuais. Os números divulgados pelo UNICEF destacam a gravidade dessa doença. A cada ano, aproximadamente 4,2 milhões de crianças sofrem com pneumonia grave, resultando em mais de 800 mil óbitos de crianças menores de 5 anos. Esses números superam as estatísticas de mortes causadas por malária, sarampo e diarreia combinadas.

Serviço

O HRBA, administrado pelo Instituto Mais Saúde, em parceria com a Sespa, oferece serviços inteiramente referenciados, atendendo às demandas originadas pela Central de Regulação do Estado. A unidade está localizada na Avenida Sérgio Henn, nº 1100, no bairro Diamantino, em Santarém, a aproximadamente 700 km de distância de Belém.

Texto: Natashia Santana - Ascom HRBA

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.