Sexta, 21 de Junho de 2024
24°

Tempo nublado

Itaituba, PA

Especiais Sustentabilidade

Comunidade ribeirinha Anã: Um santuário sustentável e empreendedor

Anã é composta por 88 famílias que encontraram maneiras sustentáveis de viver, por meio de atividades como agricultura familiar, piscicultura, meliponicultura, criação de pequenos animais e turismo comunitário.

31/05/2023 às 19h54 Atualizada em 31/05/2023 às 21h31
Por: Andria Almeida Fonte: Portal RB1
Compartilhe:
(Foto: Andria Almeida/Portal RB1)
(Foto: Andria Almeida/Portal RB1)

Em meio à Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, a 600 km do centro urbano de Santarém, encontra-se a comunidade ribeirinha de Anã, um verdadeiro paraíso sustentável e empreendedor. Rodeada por uma exuberante biodiversidade e águas cristalinas, essa comunidade se destaca no cenário turístico global, oferecendo uma experiência única de contato direto com a floresta e as águas doces da região.

Anã é composta por 88 famílias que encontraram maneiras sustentáveis de viver, por meio de atividades como agricultura familiar, piscicultura, meliponicultura, criação de pequenos animais e turismo comunitário. Valorizando essas atividades, a comunidade fortalece a economia local, promove o empreendedorismo e contribui para a preservação do meio ambiente.


(Foto: Andria Almeida/Portal RB1)

Atrações Turísticas e Experiências Únicas

O turismo tem desempenhado um papel fundamental no desenvolvimento da comunidade de Anã. Atraindo visitantes de todo o mundo, inclusive personalidades como o ator Bruno Gagliasso, o destino tem se destacado no mapa turístico. A comunidade oferece diversas opções de acesso, como viagens de barco regulares e passeios de lancha saindo da vila balneária de Alter do Chão. Os visitantes têm a oportunidade de explorar a área a pé ou de canoa, imersos na harmonia da natureza e no canto dos pássaros.

O piscicultura tem sido uma das principais fontes de renda da comunidade desde 2000. O projeto, iniciado por 11 famílias e fortalecido em 2004 pelo grupo Mulheres Sonhadoras em Ação (Musas), abriga aproximadamente 28 mil peixes da espécie tambaqui. Cerca de 20% da produção é destinada ao consumo das famílias envolvidas, enquanto o restante é vendido localmente, especialmente para a hospedagem comunitária.

(Foto: Andria Almeida/Portal RB1)

Outra atividade econômica importante em Anã é a meliponicultura, envolvendo 20 famílias e 700 colmeias de abelhas. O mel produzido é utilizado na culinária local e também comercializado para os turistas, gerando uma renda adicional para a comunidade.

Hospedagem Comunitária e Experiência Autêntica

Para os visitantes que desejam desfrutar de uma experiência autêntica e sustentável, Anã oferece um redário comunitário, com capacidade para 36 redes. A hospedagem inclui refeições preparadas com produtos locais, incluindo peixes frescos provenientes da piscicultura da comunidade. Uma das anfitriãs do redário, Maria Odila Duarte, que é psicultora e agricultora, conta que a origem do nome da comunidade vem da lenda de Moanã, cujo significado em Tupi-guarani é 'ser encantado'.

"Reza a lenda que Moanã é uma serpente protetora da natureza. Essa história foi passada de geração em geração e acabou dando nome ao local. No entanto, os moradores acharam o nome muito longo e decidiram abreviá-lo, resultando em Anã", revela.

(Foto: Andria Almeida/Portal RB1)

Outro participante do projeto é Odair Biriba, um dos meliponicultores, que explica a utilização da abelha Canudo na produção do produto. Essa espécie não possui ferrão.

Odair compartilha: "Temos 3 coletas de setembro a janeiro, que coincidem com a época das floradas. Durante esse período, produzimos cerca de 400 kg de mel, que é totalmente orgânico, já que essa abelha não aceita nenhum tipo de alimento artificial. Ela se alimenta exclusivamente de néctar e pólen da floresta."

Odair realizando o trabalho na comunidade. (Foto: Andria Almeida)

Um dos pontos turísticos mais populares em Anã é a praia da Ponta do Piquenique, conhecida por suas areias brancas e águas quentes e transparentes. Esse local encantador é especialmente procurado para apreciar o pôr do sol deslumbrante.

Além de ser um destino turístico em ascensão, a comunidade de Anã também se destaca por seu compromisso com a preservação ambiental. Os moradores estão engajados em práticas de conservação da fauna e flora local. Essa preocupação com a sustentabilidade se reflete em todas as atividades empreendidas pela comunidade.

(Foto: Andria Almeida/Portal RB1)

A comunidade de Anã é um exemplo notável de como o empreendedorismo pode impulsionar o desenvolvimento local. Por meio das atividades sustentáveis, como a piscicultura e a meliponicultura, as famílias encontraram formas inovadoras de geração de renda, fortalecendo a economia local e melhorando a qualidade de vida.

A história de sucesso da comunidade de Anã serve como inspiração e modelo para outras comunidades ribeirinhas da Amazônia. Através do turismo comunitário e do empreendedorismo sustentável, é possível preservar o meio ambiente, valorizar a cultura local e criar oportunidades de crescimento econômico para as comunidades tradicionais.


 Entrada da comunidade. (Foto: Andria Almeida/Portal RB1)

Anã é muito mais do que um santuário sustentável e empreendedor. É um exemplo de como a harmonia entre o homem e a natureza pode gerar prosperidade e bem-estar para todos. Ao visitar essa comunidade única, os turistas têm a oportunidade de contribuir para a preservação da Amazônia e vivenciar experiências autênticas, enriquecendo suas vidas e a comunidade local.

Confira algumas registros fotográficos feito por Andria Almeida:

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.